Qual é a diferença entre NFTs e Criptomoedas?

Criptomoedas, NFTs, Blockchain e Web3 são assuntos ainda desconhecidos para a maior parte das pessoas, porém estamos em uma transição para uma nova forma de interagir na internet através dessas tecnologias. Neste artigo você vai entender melhor qual é a diferença entre NFTs e Criptomoedas.

O que é a blockchain?

A tecnologia Blockchain é, em sua essência, um novo sistema de compartilhamento e gerenciamento de dados. Ela permite que os dados sejam armazenados e controlados por uma rede descentralizada de usuários, em vez de uma única empresa gigante ou intermediários. Isso significa que ela pode fazer o que os modelos mais tradicionais da Internet, comumente chamados de Web2, não podem. Dessa forma, as tecnologias baseadas em blockchain estão sendo usadas para criar uma nova iteração da Internet, comumente chamada de Web3.

Você pode pensar na blockchain como uma coleção digital compartilhada e registro de transações de dados, não muito diferente de um livro público. Os registros de transações de dados individuais são armazenados em blocos que se unem para formar uma cadeia de registros, que é de onde obtemos o termo “blockchain”. As transações na blockchain só são adicionadas a este livro distribuído se os “nós” no sistema (computadores dedicados a proteger o sistema) as verificarem.

Essencialmente, o conteúdo deste livro público deve ser confirmado por todas as partes envolvidas no processo de verificação. Quanto mais nós de verificação no sistema, mais seguro ele é. Ao contrário de apenas invadir o Google ou o Facebook para mexer com o sistema, para hackear uma rede blockchain, você precisaria obter controle sobre uma enorme quantidade de computadores para alterá-lo. Isso aumenta muito a sua segurança.

Os dois tipos mais proeminentes de transações de dados que a tecnologia blockchain introduziu são criptomoedas e NFTs. Eles têm algumas semelhanças e interações-chave, mas são distintos um do outro em alguns aspectos muito importantes.

Vamos começar com as criptomoedas.

A Web3 está revolucionando a forma como as pessoas interagem e dando autonomia para pessoas com recursos financeiros escassos.

O que são criptomoedas?

Criptomoedas são moedas digitais. O termo “cripto” vem do fato de que essas moedas (geralmente chamadas de tokens digitais) são protegidas por meio de um processo chamado de criptografia, o que significa que são altamente protegidas e quase impossíveis de gastar duas vezes ou falsificar. Essa segurança é alcançada por meio de vários processos.

Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) são as criptomoedas mais conhecidas, cada uma funcionando dentro de seu próprio sistema blockchain separado, mas existem milhares de criptomoedas (mais de 20.000 criptomoedas na data de criação deste artigo) espalhadas por dezenas de plataformas blockchain. Para este artigo, ficaremos com BTC e ETH, pois são os mais fáceis de entender e fazer referência.

Qualquer pessoa pode comprar e vender criptomoedas em corretoras descentralizadas como a Uniswap mas você precisará de um lugar para armazenar esse dinheiro digital, então terá que configurar uma carteira de criptomoedas antes efetuar suas transações. Você pode usar criptomoedas para comprar coisas como NFTs, mas muitos veem essas moedas como uma ferramenta de negociação e investimento devido à sua volatilidade e, ocasionalmente, seus valores crescentes.

A principal coisa a entender sobre criptomoedas é que, assim como a moeda do governo, elas são fungíveis. Se você tem uma nota de cinco dólares em sua carteira e alguém lhe pede para trocá-la por uma nota de cinco dólares em sua carteira, você não se importaria. Seu dinheiro é fungível – qualquer nota de cinco dólares é tão boa quanto qualquer outra, desde que faça o trabalho. É exatamente assim que as criptomoedas funcionam. Cinco ETH na minha carteira digital são intercambiáveis ​​com 5 ETH na carteira digital de outra pessoa.

O Bitcoin influenciou diversos programadores e empresas a lançarem soluções alternativas para finanças e economia mundial

O que é um NFT?

NFT significa “token não fungível”. Em comparação com as criptomoedas, que são fungíveis ou intercambiáveis, as NFTs são singulares e únicas. Assim como as criptomoedas, elas existem no blockchain como ativos criptográficos.

A comparação comum aqui envolve as diferenças entre a moeda física e os objetos físicos únicos que as pessoas compram precisamente por sua singularidade. Mencionamos como as criptomoedas são fungíveis – qualquer quantidade de ETH em sua carteira digital, por exemplo, é exatamente o mesmo em valor e funciona como a mesma quantidade de ETH na carteira de outra pessoa.

Agora, pense em um objeto físico que você possui que é especial para você e do qual existe apenas um. Pode ser uma pintura que você comprou, um item de colecionador, ou uma impressão da primeira edição de um livro que você ama, assinada pelo autor.

Essas coisas não são fungíveis. Se alguém pedisse para trocar seu livro autografado da primeira edição por uma reimpressão da quinta edição sem assinatura, você recusaria. Embora os dois contenham as mesmas palavras, eles não são de forma alguma intercambiáveis. Eles não são fungíveis.

Agora, pegue esse princípio e aplique-o a um e-book que vem com uma assinatura digital exclusiva certificada por seu autor, da qual digamos que apenas 25 cópias oficiais existam na blockchain, e você tem um NFT. As NFTs permitem que os ativos digitais sejam únicos e tenham valor monetário. Se você possui um NFT de até mesmo um JPEG, esse NFT é seu, e mesmo que alguém o capture ou faça o download, aparentemente “roubando”, eles não o possuem, e o registro público da blockchain verifica isso.

A beleza da blockchain está em sua capacidade de fazer essa transformação. Contanto que algo possa ser digitalizado, pode ser transformado em um NFT. Músicas, GIFs, JPEGs, fotografias, desenhos digitais, ingressos, tudo isso pode ser transformado em NFTS.

Entender como as NFTs funcionam requer um pouco de ajuste psicológico. Como um JPEG pode ser único e de propriedade se eu puder fazer uma captura de tela dele ou baixá-lo no meu computador? Essa é uma pergunta válida e que todos se fazem em algum momento de sua jornada da Web2 para a Web3.

Qual é a diferença entre NFTs e Criptomoedas?

NFTs são ativos digitais exclusivos. As criptomoedas são o dinheiro digital que você usa para comprar esses ativos. A melhor maneira de conceituar isso é através de um exemplo do mundo real. Em outubro de 2017, uma fotógrafa compartilhou uma imagem que ela tirou de uma estrada solitária no Havaí em sua conta no Instagram. A fotografia rapidamente se tornou viral e foi compartilhada em várias plataformas de mídia social milhares de vezes, principalmente sem nenhum crédito atribuído a autora e totalmente sem nenhuma compensação monetária.

Essa desigualdade é uma representação perfeita de muitos dos problemas que cercam a Web2. Na Web2, como todos sabemos, cliques e visualizações quase sempre equivalem a lucro. Não é difícil imaginar que pelo menos algum dinheiro foi ganho com essa fotografia e por aqueles que o compartilharam ou pelas plataformas em que foi compartilhado, mas nenhum desse dinheiro foi para a própria artista.

Usando a blockchain, no entanto, essa fotógrafa decidiu autenticar a imagem original como um NFT. Isso significa que ela fez o upload para a infraestrutura blockchain e a “certificou” como sendo a foto original e única que ela tirou daquela estrada havaiana, dando a ela uma assinatura digital específica que nenhuma outra versão da foto jamais terá.

Assim como um pintor assina seu trabalho e inscreve seu número de edição, essa foto agora tinha uma impressão digital, disponível para ser vista a qualquer momento e por qualquer pessoa do mundo. A imagem havia sido escrita em um registro público imutável que provava sua originalidade e autenticidade.

Ela colocou a fotografia única NFT à venda. Para comprar um NFT, como mencionamos, você precisa de criptomoedsa. Diferentes blockchains usam diferentes criptomoedas. Essa fotografia foi “mintada” (transformada em NFT)  na blockchain Ethereum e vendida por 100 ETH, a criptomoeda fungível dessa blockchain, que na época era de US$ 303.481.

Isso encapsula perfeitamente apenas um dos méritos dos NFTs. Artistas visuais que costumavam trabalhar com instituições intermediárias como galerias, ganhando uma fração dos lucros obtidos, agora têm uma maneira fácil e direta de serem totalmente remunerados por seu trabalho. O outro benefício dos NFTs é que, como os contratos digitais que os sustentam são personalizáveis, os artistas podem codificar o valor dos royalties que recebem das vendas secundárias. Isso significa que cada vez que a obra de arte muda de mãos, uma parte dos lucros vai para o artista original, criando uma economia criativa mais sustentável para a indústria.

É importante ressaltar que os NFTs valem apenas o que as pessoas estão dispostas a pagar por eles. Muitas vezes, artistas bem estabelecidos transformam seus trabalhos existentes em NFTs e os vendem por centenas de milhares ou até milhões de dólares, precisamente porque já têm seguidores. Mas muitos artistas em ascensão estão começando a usar a tecnologia também para se destacar. Numerosos projetos NFT apoiados por novas comunidades explodiram em cena, gerando lucros absurdos no processo.

De qualquer forma, criptomoedas e NFTs mudaram muitas coisas na sociedade, desde como vemos e apreciamos a arte e como essa arte é feita e distribuída, até como pensamos sobre os conceitos básicos de economia, valor e moedas. A Web3 é um lugar dinâmico — e sim, arriscado. Mas não se pode argumentar que não é emocionante e inspirador. Neste artigo você entendeu melhor qual é a diferença entre NFTs e Criptomoedas.

Links úteis

Uniswap: uniswap.org
Metamask: metamask.io

Aproveite que chegou até aqui e confira nossas redes sociais, siga a gente e comente qual assunto você gostaria que fosse abordado em nosso blog! 🙂

Rodrigo Alves, Artista 3D, Designer e Fotógrafo

Sobre o autor

Rodrigo Alves, Artista 3D, Designer e Fotógrafo

Nascido na cidade de Teresópolis, região serrana do Rio de Janeiro, buscou desde cedo se expressar através da arte. Começou ainda na adolescência a fazer desenhos em papel e depois avançou para artes digitais. Em pouco tempo se destacou com trabalhos de tratamento digital de imagens e com modelagem e animação em 3D. Na fotografia, sua principal escola foi através das dezenas de trilhas e acampamentos que fez em Teresópolis, onde sempre levava sua câmera Nikon para registrar o máximo de detalhes que encontrava. Com essa dedicação conquistou um acervo fotográfico com mais de 1000 fotografias da cidade de Teresópolis. Desde 2017 acompanhando o mundo cripto, sua nova jornada é no mercado de NFT. Seu acervo fotográfico e habilidades em 3D lhe garantiram destaque na comunidade de artistas NFTs e agora seus trabalhos artísticos e fotografias estão sendo eternizados na Blockchain através de NFTs únicas.