As primeiras NFTs: histórico e contexto

As primeiras NFTs surgiram no final de 2017, mas sua popularidade explodiu somente em meados de 2021 devido ao aumento do interesse pelo mercado de criptomoedas e pelo crescente valor das NFTs. Em meados de 2021, o mercado de NFTs atingiu um valor de US$ 2 bilhões, com algumas NFTs sendo vendidas por valores extremamente altos. Por exemplo, em março de 2021, uma NFT criada pelo artista digital Beeple foi vendida por US$ 69 milhões em uma leilão da Christie’s, tornando-se a obra de arte digital mais cara de todos os tempos.

Tokens digitais únicos

Uma NFT é um token digital que é criado usando a tecnologia blockchain. Isso significa que ela é registrada de forma permanente em uma rede descentralizada, o que lhe confere imutabilidade e propriedade verificável. As NFTs são geralmente criadas e vendidas em plataformas especializadas, como a OpenSea e Rarible, onde os compradores podem usar criptomoedas para adquiri-las.

Além disso, as NFTs são não-fungíveis, o que significa que cada uma é única e não pode ser substituída por outra igual. Isso as difere de outros tokens, como o bitcoin, que são fungíveis e podem ser trocados por outras unidades do mesmo tipo. Isso torna as NFTs ideais para representar coisas como arte, música, vídeos e até mesmo propriedade de terrenos virtuais, já que cada uma dessas coisas é única e não pode ser substituída por outra igual.

Exemplo de uma NFT disponível para venda: Consciousness Expanding – Enter.art

Como surgiram as NFTs?

A primeira NFT foi idealizada por um programador chamado Vitalik Buterin, co-fundador da Ethereum, uma plataforma de contratos inteligentes descentralizada. Em 2014, Buterin lançou a plataforma Ethereum, que possibilitou a criação de tokens personalizados e contratos inteligentes. Isso abriu as portas para a criação de NFTs, já que agora era possível criar tokens únicos e indivisíveis.

Antes da criação da NFT, a maioria dos tokens digitais eram fungíveis, ou seja, intercambiáveis e não possuindo valor intrínseco. A criação da plataforma Ethereum e a possibilidade de criação de tokens personalizados mudou isso, permitindo a criação de NFTs. Isso permitiu que coisas únicas pudessem ser representadas por tokens digitais e negociadas de forma segura e transparente.

O surgimento da NFT também foi importante porque permitiu a criação de contratos inteligentes, que são programas que se autoexecutam quando determinadas condições são atendidas. Isso tornou possível a criação de leilões de NFTs, por exemplo, onde os lances são registrados de forma transparente e segura em uma rede descentralizada.

Em resumo, a criação da NFT foi possível graças à plataforma Ethereum e à possibilidade de criação de tokens personalizados e contratos inteligentes, permitindo a representação e negociação segura e transparente de coisas únicas como arte digital e música.

Os CryptoKitties são uma série de personagens virtuais de gatinhos criados pela empresa de tecnologia blockchain Axiom Zen. Os jogadores podem coletar e criar seus próprios gatinhos, cada um com um genoma único que define sua aparência e características. Os jogadores também podem criar seus gatinhos para criar novos amigos peludos e desbloquear raros “cattributes”.

As primeiras coleções de NFTs

A primeira NFT a ser criada foi o CryptoKitty, um jogo de gato virtual que permitia ao jogador criar e negociar seus próprios gatos virtuais como NFTs. O CryptoKitty foi um sucesso imediato e ajudou a popularizar as NFTs, tornando-as mais do que apenas uma ferramenta técnica. O CryptoKitty foi um dos primeiros jogos a utilizar NFTs de forma ampla e foi um sucesso imediato quando foi lançado em 2017 tornando-se um jogo extremamente popular entre os entusiastas de criptomoedas e de arte digital.

Além do CryptoKitty, os  Cryptopunks foram uma série de NFTs criadas pela empresa de tecnologia blockchain Ethereum e pelo artista digital Matt Hall. Lançados também em 2017, os Cryptopunks são personagens de pixel art criados e vendidos em massa. Cada Cryptopunk é único e não pode ser substituído por outro igual, o que os torna NFTs não-fungíveis. Os Cryptopunks se tornaram extremamente populares logo após seu lançamento e continuam sendo uma das NFTs mais procuradas até hoje. Eles foram vendidos por valores extremamente altos em leilões e em plataformas de negociação de NFTs, e muitos colecionadores os consideram peças de coleção valiosas.

Desde então, o uso de NFTs se expandiu para além dos jogos e se tornou uma ferramenta popular para a venda de arte digital, música e até mesmo tweets famosos. Alguns artistas famosos, como Kings of Leon e Grimes, já venderam NFTs de suas músicas, enquanto outros, como Beeple, vendeu NFTs de suas artes digitais por milhões de dólares.

Os Cryptopunks são 10.000 personagens gerados de forma única. Cada um deles pode ser oficialmente possuído por uma única pessoa na blockchain Ethereum. Originalmente, eles poderiam ser reivindicados de graça por qualquer pessoa com uma carteira Ethereum, mas todos os 10.000 foram rapidamente reivindicados.

Desde que foram criadas, as NFTs têm se tornado cada vez mais populares e valiosas. Em 2021, o mercado de NFTs atingiu um valor de US$ 2 bilhões e algumas NFTs foram vendidas por valores extremamente altos em leilões e em plataformas de negociação de NFTs. Além disso, muitos artistas e colecionadores estão vendo as NFTs como uma maneira de proteger e monetizar sua obra, enquanto outros as veem como uma oportunidade de investimento.

O crescente interesse pelo mercado de criptomoedas e pela arte digital também tem contribuído para o aumento da popularidade das NFTs. Com a crescente aceitação das criptomoedas como meio de pagamento e o aumento do interesse pelo mercado de arte digital, é provável que vejamos um aumento no número de NFTs sendo criadas e vendidas nos próximos anos.

Enquanto ainda está em sua infância, é certo que a NFT tem um futuro brilhante pela frente. Com a crescente popularidade da arte digital e do mercado de criptomoedas, é provável que vejamos mais e mais NFTs sendo criadas e vendidas, tornando-se uma ferramenta ainda mais valiosa e importante no mundo digital.

Aproveite que chegou até aqui e confira nossas redes sociais, siga a gente e comente qual assunto você gostaria que fosse abordado em nosso blog! 🙂

Entre em contato através das redes sociais

Portfolio Instagram Fox
Botão Whatsapp
Portolio Linkedin Fox
Rodrigo Alves, Artista 3D, Designer e Fotógrafo

Sobre o autor

Rodrigo Alves, Artista 3D, Designer e Fotógrafo

Nascido na cidade de Teresópolis, região serrana do Rio de Janeiro, buscou desde cedo se expressar através da arte. Começou ainda na adolescência a fazer desenhos em papel e depois avançou para artes digitais. Em pouco tempo se destacou com trabalhos de tratamento digital de imagens e com modelagem e animação em 3D. Na fotografia, sua principal escola foi através das dezenas de trilhas e acampamentos que fez em Teresópolis, onde sempre levava sua câmera Nikon para registrar o máximo de detalhes que encontrava. Com essa dedicação conquistou um acervo fotográfico com mais de 1000 fotografias da cidade de Teresópolis. Desde 2017 acompanhando o mundo cripto, sua nova jornada é no mercado de NFT. Seu acervo fotográfico e habilidades em 3D lhe garantiram destaque na comunidade de artistas NFTs e agora seus trabalhos artísticos e fotografias estão sendo eternizados na Blockchain através de NFTs únicas.

Confira nossas NFTs nos marketplaces oficiais

Mais artigos